Review | Cersei é destaque no terceiro episódio de GoT

Review | Cersei é destaque no terceiro episódio de GoT

Autor: 115

O terceiro episódio da sétima temporada de ‘Game of Thrones’ desenrolou mais um pouco as pontas soltas remanescentes do ano anterior, mas desta vez alguns aspectos podem deixar as coisas menos empolgantes do que a hype nos faz perceber.

Essa review possui spoilers do episódio The Queen’s Justice(s07e03)

Em The Queen’s Justice, o encontro mais esperado desde o início da série finalmente aconteceu: Jon Snow e Daenerys Targaryen. Aí já vem um ponto mais ou menos questionável, pois a apresentação da dupla “Jonerys” foi totalmente ofuscada. Tudo bem, o elemento que tomou os holofotes foi a participação pesada de Cersei, mas ainda assim… estamos falando do maior núcleo da produção. Quando fosse acontecer, deveria ser o maior destaque do episódio.

Além disso, a irredutibilidade de Jon e Dany foi um tanto exagerada na intenção de esclarecer que eles estavam começando ali uma relação conflituosa. Convenhamos, a Rainha dos Dragões está bem chata desde que chegou em Westeros. E Jon parece uma versão caricata do estereótipo de caipira turrão: bruto, teimoso e incapaz de contar uma história que faça suas motivações parecerem minimamente críveis – a diferença pro caipira é que a regionalidade em Game of Thrones colocou ele lá no Norte, mas, ainda assim, o retrato é como se os nortenhos não fossem um povo muito educado e instruído. O que salva a diplomacia entre os dois é a presença de Tyrion (excelente reencontro entre o anão e o Rei do Norte. Aposto que você também estava com um sorrisinho de canto de boca quando aconteceu).

Mas que fique claro: o diálogo entre Jon e Dany teve mais momentos bons que ruins! Os discursos foram, de certa forma, coerentes e a lembrança de fatos passados, anteriores à própria série, foi interessantíssima. As menções a Aegon, o Conquistador, Aerys II, Torrhen e Rickard Stark foram ótimas para que o público que não leu os livros tenha alguma noção de que há muita história por trás daquelas tramas. A busca por fatos históricos ou apenas que aconteceram há muito tempo na série tem sido uma ferramenta muito utilizada na sétima temporada, o que é bem legal. Além disso, Dany autorizou a extração de vidro de dragão na região, o que representou o primeiro passo na aproximação com Jon.

game-of-thrones-jon-dany-meeting

Quem deve ganhar mais destaque e – tomara – bons diálogos é Bran. Ele chegou em Winterfell e se mostrou muito mudado após ter virado oficialmente o Corvo de Três Olhos. A própria Sansa, irmã mais velha do garoto, tentou uma aproximação tenra e carinhosa, mas teve como retorno respostas secas e pouco objetivas (o que que custava contar o que é ser o Corvo, né?).

No entanto, o que realmente chamou a atenção no episódio Justiça da Rainha foi… a Rainha. Cersei Lannister em seu auge, esbanjou poder de várias formas. Ao receber seu presente de Euron Greyjoy, ela agradeceu elevando-o ao cargo de capitão da frota da Coroa, mas deixando claro que um casamento só aconteceria depois da guerra.

Óbvio que ela está usando-o e planeja matá-lo assim que puder, mas o problema é que Euron não é tão bobo e, provavelmente, planeja matá-la rapidinho também. Enquanto isso, estão divertidíssimas as trocas de farpas entre ele e Jaime – uma pena que estes diálogos são tão curtos. Agora, um cuida do exército em terra e outro cuida do exército nos mares, tendo que trabalhar juntos.

Com Ellaria e Tyene Sand presas, Cersei não economizou na tortura psicológica. Falou de Oberyn e sua luta contra o Montanha, de Myrcella (que, de fato, era inocente nessa briga entre as famílias), da forma como Ellaria a assassinou e de como ela própria, Cersei, planejou cada passo da vingança. Acabou que a vítima foi Tyene, envenenada da mesma forma que Myrcella, com o agravante de que mãe e filha estariam frente à frente até o momento da morte da garota por envenenamento. Pesado!

+Leia também: As teorias mais malucas sobre Game of Thrones

Outra atuação digna de palmas da Rainha foi a estratégia para liquidar o débito com o Banco de Bravos. A instituição voltou a ser citada com a volta de Tycho Nestoris e seu único papel na série: cobrar dívidas. Cersei pediu quinze dias para ela reunir o dinheiro e todos pensamos “como diabos ela vai fazer isso?”. Vrá: em uma tacada só, ela tirou quase todo o exército Lannister do Rochedo Casterly, “entregou” o castelo quase sem suprimentos e encurralou o exército de Imaculados no local, pois a frota Greyjoy queimou os navios dos invasores.

Beleza, só isso não seria de muita utilidade, mas os homens em armas dos Lannister rumaram para Jardim de Cima. O saque ao castelo dos Tyrell garantiu uma quantia significativa de ouro (eles eram os mais ricos em Westeros) e eliminou mais um aliado de Daenerys.

Este núcleo ofereceu o melhor diálogo da temporada até agora. Com a morte de Mace, Loras e Margaery Tyrell, a senhora Olenna estava no comando do local, mas praticamente não ofereceu resistência. A conformidade da velhinha chegou a ser revoltante de início, no entanto, realmente não havia muito o que se fazer. Ela sabia que ia morrer, mas não sem antes dizer poucas e boas para Jaime.

Resumindo em poucas palavras, ela deixou claro como ele estava fazendo as vezes de capacho de Cersei, além de confessar que ela própria foi responsável pela morte de Joffrey – E QUE ELA FAZIA QUESTÃO QUE CERSEI SOUBESSE. Vá em paz, Olenna Tyrell. Foi uma ótima trajetória.

game of thrones s07 olenna

Porém, algumas inconsistências e falhas nos planos de Daenerys pareceram muito convenientes. Em Rochedo Casterly, se ela tivesse ido com apenas um dragão, seria o suficiente para que os marujos Greyjoy borrassem as calças e entrassem em pânico, dando a ela a oportunidade de incendiar os navios inimigos. Ela fez isso em Meereen, poxa vida. Era só repetir a estratégia.

A mesma coisa com o exército Lannister em Jardim de Cima: ficou claro que o castelo dos Tyrell não era muito bem protegido, por que, então, deixar vulnerável o lar da família mais rica do continente e sua principal aliada???

+Leia também: Game of Thrones | Jogo dos Tronos ou das Traições?

Os próximos episódios devem servir para Daenerys partir para o combate direto, deixando a diplomacia de Tyrion de lado e tentando uma reviravolta na guerra. Os fãs também precisam entender as novas parcerias da Targaryen e a proporção dos seus exércitos em relação aos inimigos, porque agora bagunçou tudo.

Lembrança especial para a cura de Sor Jorah e o trabalho que Sam vai ter reescrevendo velho pergaminhos. COM CERTEZA vai sair algo dali!

Ansiosos pelo que vem por aí? Veja o promo do quarto episódio:

Compartilhe nas redes sociais:
Filipe Rodrigues

Jornalista, apaixonado por futebol, nerd e leonino. Apesar de acompanhar tudo o que acontece no mundo dos esportes, escolheu o universo das nerdices pra dedicar seu tempo produtivo e criativo. Gosta muito de Superman; entre Vingadores e X-Men fica com os mutantes; adora coisas nostálgicas como Digimon, Power Rangers e Dragon Ball; e seu filme favorito agora é Mad Max: Estrada da Fúria!

SAIBA MAIS SOBRE

Leia Também

Adicione Um Comentário.