Resenha | Unfollow – 140 Tipos

Resenha | Unfollow – 140 Tipos

Autor: 208

Ficha técnica

Resenha | Unfollow – 140 Tipos

Título original: Unfollow Vol. 1 – 140 Characters
Autor: Rob Williams
Ilustrador: Matt TaylorMichael Dowling
Gênero: Super-herói
Editora: VERTIGO (DC Comics)
Ano: 2017

Avaliação Uber7

Partindo de uma premissa batida no cultuar pop, Unfollow – 140 tipos acaba ficando em cima do muro por trazer críticas certeiras à era das redes sociais, mas focar demais em introduções.

Larry Farrel, o bilionário recluso e criador da rede social Headspace, está as beiras da morte e decide então deixar como legado um grandioso estudo social. Ele seleciona 140 pessoas aleatórias pelo mundo e vai dividir igualmente sua fortuna com essas pessoas após falecer. A única regra é que o valor será recalculado caso o número de pessoas diminua, ou seja, caso sobre apenas um “sortudo”, ele herdará toda a fortuna de Larry Farrel.

Os tais 140 personagens são convidados então para conhecer a ilha particular do bilionário e a cabeça do leitor começa a fervilhar de lembranças de tantas outras séries, filmes, quadrinhos e livros que trazem essa mesma ideia. Porém, a história criada por Rob Willians (‘A Realeza: Mestres da Guerra‘) procura outra saída ao ficar realmente em uma noite de apresentações por parte do bilionário, que acaba falecendo na mesma noite, e na manhã seguinte todos os personagens voltam para a casa, iniciando-se assim a distribuição da fortuna do criador do Headspace.

Neste primeiro volume o roteirista Rob Williams se ocupa bastante em trazer críticas ao comportamento das pessoas nas redes sociais. Durante as interações entre personagens são apresentados tweets dos mesmos, o que serve para contrastar ou mesmo reforçar as atitudes e motivações dos tão diferentes tipos de personagens que compõem o gibi. Dessa forma, o roteirista toma um lugar na velha discussão sobre as identidades que as pessoas costumam criar nas redes sociais, trazendo a ideia de que as pessoas não criam perfis e, sim, assumem suas verdadeiras naturezas, aquelas que eles teriam se tivessem poder para tal.

140 unfollow

O grande ponto fraco desse primeiro volume de Unfollow se deve justamente ao gibi se ocupar basicamente dos personagens que supostamente serão os protagonistas da obra. O leitor é apresentado a diferentes personagens, mas não consegue prever o que vai se desenrolar do grande plano do bilionário Larry Farrel, especialmente porque os 140 escolhidos vêm de diferentes partes do mundo. O leitor realmente não consegue mais esperar algo como ‘Battle Royale’ ou ‘Jogos Vorazes‘, mas também acaba não criando expectativa ou curiosidade sobre o que vem a seguir em meio a tantos backgrounds e apresentação de cada pessoa.

Unfollow – 140 Tipos compila as edições de 1 a 6 do quadrinho americano lançado pelo selo VERTIGO (DC) e foi lançado recentemente no Brasil pela Panini Comics. O quadrinho traz artes de Matt Taylor, Michael Dowling e chega com uma história que, apesar do início não tão original, se fortalece com críticas precisas a uma sociedade na qual qualquer leitor vai se reconhecer inserido, mas que peca ao não seguir em frente em nenhuma das milhares das possibilidades que se abrem no primeiro volume.

Compartilhe nas redes sociais:
Eduardo Cardoso

Professor, Colecionador e leitor de quadrinhos, apaixonado por literatura e Nerd por maioria de votos. Prefere a DC Comics, tem um gosto musical que não faz sentido, assim como sua escolha de herói favorito. Apesar de sua paixão por filmes de terror Trash/Gore ou com criaturas gigantes, seu filme preferido é O Rei Leão.

Leia Também

Resenha | Universo DC Renascimento: Arqueiro Verde – Volume 1

Resenha | Universo DC Renascimento: Arqueiro Verde – Volume 1

Resenha | Novo Super-man: Vol. 1

Resenha | Novo Super-man: Vol. 1

Resenha | Duna – Frank Herbert

Resenha | Duna – Frank Herbert

Crítica | Nerve – Um Jogo Sem Regras

Crítica | Nerve – Um Jogo Sem Regras

Adicione Um Comentário.