RIP | Morre Chris Cornell, ícone do grunge nos anos 90

RIP | Morre Chris Cornell, ícone do grunge nos anos 90

Autor: 267

Chris Cornell morreu no dia 17 de maio de 2017 de forma repentina e inesperada, como definiu seu assessor, Brian Bumbery. As causas da morte do músico ainda são desconhecidas – o que se sabe é que tudo aconteceu após um show do Soundgarden na cidade de Detroit. Familiares do cantor pediram respeito à privacidade neste momento – e os fãs entenderam, pois, de certa forma, viam no ídolo uma parte da própria família.

[ATUALIZAÇÃO]

A Associated Press confirmou via Twitter que a causa da morte de Chris Cornell foi suicídio por enforcamento. À meia-noite, a polícia recebeu uma ligação de um amigo do artista. Este amigo foi encontrar com Chris no hotel em que o músico estava hospedado em Detroit, mas, ao chegar no quarto, viu o amigo já deitado no chão, inconsciente.

 

Tweet de ontem, antes do seu último show:

Trajetória

Nascido em 1964, Chris Cornell construiu uma sólida carreira solo, além de ter brilhado com Soundgarden e Audioslave. O interesse pela música surgiu na juventude, quando ele enfrentava crises de ansiedade. Com ajuda do rock e grande inspiração nos Beatles, Chris superou seus problemas com situações que pudessem gerar constrangimentos, multidões e, quem diria, virou uma grande estrela internacional.

O Soundgarden surgiu em 1984, quando Chris Cornell, Hiro Yamamoto e Kim Thayil se conheceram. Nessa época, Cornell era baterista e vocalista, mas largou as baquetas quando outro baterista foi recrutado.

Depois de alguns anos de consolidação, o Soundgarden se tornou a primeira banda grunge a assinar com uma grande gravadora. O reconhecimento internacional veio com ‘Superunknown‘, de 1994, que atingiu o quarto lugar nas paradas britânicas.

A música que dá nome ao álbum, inclusive, ganhou o MTV Video Movie Awards daquele ano como Melhor Metal/Hard Rock Vídeo.

Antes disso, em 1990, Chris Cornell participou do supergrupo Temple of the Dog. A reunião se deu em homenagem a Andrew Wood, ex-vocalista das bandas Mother Love Bone e Malfunskin, que morreu naquele ano, vítima de overdose de heroína. O grupo contava com Stone Gossard e Jeff Ament (do Mother Love Bone), Chris Cornell e Matt Cameron (do Soundgarden) e os desconhecidos Mike McCready e Eddie Vedder – com que Chris dividiu os vocais na clássica ‘Hunger Strike‘.

Foi lançado apenas um álbum, o ‘Temple of the Dog’, mas uma das heranças desta iniciativa é sentida até hoje: após o retorno de Cornelle e Cameron para o Soundgarden, Vedder, Ament, Gossard e McCready formaram o Pearl Jam.

O talento de Chris Cornell era indiscutível. Ele chegou a compor para gigantes do rock, como Alice Cooper, por isso não era surpresa ver a carreira dele decolando com projetos de grande relevância. Em 2001 (quatro anos depois do fim do Soundgarden), um grupo foi formado por Chris Cornell e os ex-integrantes do Rage Against the Machine, Tom Morello, Tim Commerford e Brad Wilk: o Audioslave.

Foram três álbuns lançados entre 2002 e 2006, com inúmeros hits. Além dos sucessos nas rádios, o Audioslave participou de um momento histórico não apenas para a música, mas para a geopolítica internacional. Em 2005, eles tocaram em Cuba naquele que foi o primeiro show de artistas estrangeiros na ilha do Caribe. Foi gravado um DVD desta apresentação.

Vários percalços, porém, limitaram o alcance do grupo, como uma briga entre empresários e gravadoras logo no início, a ida de Chris à reabilitação em 2003 por problemas com drogas e projetos solo dos artistas. Em 2007, o vocalista anunciou sua saída.

Nesse mesmo ano, Chris Cornell lançou um dos maiores sucessos de sua carreira solo: ‘You Know My Name‘, música-tema do filme ‘007 Casino Royale‘, primeiro de Daniel Craig como James Bond.

Em 2017, os integrantes do Audioslave se reuniram em um evento organizado pelo Prophets of Rage (novo grupo de Morello, Commerford e Wilk), em protesto contra o presidente Donald Trump.

Chris afirmou que um dos maiores pesares de sua carreira foi ver as bandas experimentais de Seattle não se encaixarem no mercado musical que se seguiu no decorrer dos anos 90.

Mesmo com a morte inesperada e o choque inevitável, uma coisa os fãs de rock podem garantir a Chris: assim como Kurt Cobain, Layne Staley, Scott Weiland e outros, ele não será esquecido. O legado de Chris Cornell é grande demais para se perder na história.


O Uber7 preparou uma playlist especial em homenagem a Chris Cornell. Siga @siteuber7 no Spotify e confira muitas outras listas:

Compartilhe nas redes sociais:
Filipe Rodrigues

Jornalista, apaixonado por futebol, nerd e leonino. Apesar de acompanhar tudo o que acontece no mundo dos esportes, escolheu o universo das nerdices pra dedicar seu tempo produtivo e criativo. Gosta muito de Superman; entre Vingadores e X-Men fica com os mutantes; adora coisas nostálgicas como Digimon, Power Rangers e Dragon Ball; e seu filme favorito agora é Mad Max: Estrada da Fúria!

Leia Também

Review | Harry Styles, o futuro rock star que você respeita

Review | Harry Styles, o futuro rock star que você respeita

Sete músicas para conhecer Esteban

Sete músicas para conhecer Esteban

Adicione Um Comentário.