Resenha | Leviatã Desperta – James S. A. Corey

Resenha | Leviatã Desperta – James S. A. Corey

Autor: 128

Ficha técnica

Resenha | Leviatã Desperta – James S. A. Corey

Título original: Leviathan Wakes
Tradutor(a): Márcia Blasques
Autor: James S. A. Corey
Editora: Aleph
Ano: 2017
Páginas: 672

Avaliação Uber7

Em Leviatã Desperta, thriller que deu origem à série ‘The Expanse‘, duzentos anos se passaram desde a expansão para o espaço, e a humanidade vive um momento crítico em que a população ocupa diversos planetas e se divide em interesses conflitantes. Quando um relutante capitão de nave e um detetive decadente se envolvem nas investigações do desaparecimento de uma garota, o que eles descobrem leva nosso sistema solar à beira de uma guerra civil e expõe a maior conspiração da história humana (Sinopse retirada do site da Editora Aleph). 

A obra é uma space opera (sub-gênero da ficção científica que traz uma ênfase maior para o enredo em si, além de viagens espaciais e grandes batalhes) escrita por James S. A. Corey – pseudônimo utilizado pela dupla de autores Daniel Abraham e Ty Franck. Em um futuro distante, no qual o homem colonizou o espaço, o leitor é apresentado ao Capitão Jim Holden e ao cético detetive Miller, homens que acabam sendo atraídos para dentro de uma grande onda de conspirações e intrigas – algo que coloca Terra e Marte, grandes potências do sistema solar, à beira de uma grande guerra.

Uma grande qualidade deste livro é a maneira como se decidiu conduzir a narrativa. Alternando a voz narrativa entre Jim Holden e o detetive Miller, a dupla de autores traz uma narrativa completa, na qual o leitor vai perceber as diferenças da passagem de tempo e a sua movimentação – mesmo em momentos quando os personagens estão em diferentes pontos da galáxia. Já nos momentos de interação entre Holden e Miller, o leitor vai ter um entendimento completo do que cada um dos personagens pensa e como se sentem, trazendo assim uma leitura fluida e muito bem enquadrada, já que o leitor consegue perceber as decisões dos protagonistas sendo montadas peça por peça. Essa percepção acontece especialmente quando se percebe que ambos não são grandes entusiastas das visões de mundo um do outro.

leviata desperta 4 copiar

Outro aspecto importante de Leviatã Desperta é justamente o embate entre o capitão Jim Holden e o detetive Miller. Holden é honrado e idealista, crê em grandes mudanças, acredita na verdade, mas e se vê no meio de uma grande enredo que envolve ganância e corrupção. Ao seu lado, o decadente e pessimista detetive Miller, que já viu coisas demais e sabe sobre a podridão do ser humano, nascido em solo terrestre ou não.

+Leia também: Resenha | Duna – Frank Herbert

Em contraparte, toda uma narrativa que gira em torno das vivências e impressões dos personagens centrais acaba deixando de fatos importantes do cenário criados pelos autores e faz com que algumas revelações acabem se tornando irrelevantes para o leitor. Existe todo um pano de fundo baseado em desentendimentos políticos e conspirações corporativas que acabam não sendo explorados como se devem, ao menos não neste primeiro volume da saga.

O livro é divertido, apesar das mais de 600 páginas que podem acabar assustando, que se sustenta com uma narrativa rápida e bem construída. Leviatã Desperta faz jus a todos os elogios e diversas indicações a prêmios que carrega em seu currículo. Se você gosta de sci-fi, conspirações, conflitos políticos e até mesmo um pouco de literatura noir, esta é certamente uma leitura obrigatória.

Leviatã Desperta foi lançado ano passado no brasil pela Editora Aleph. Suas continuações continuam inéditas em solo brasileiro.

The Expanse, serie que adapta os livros para a TV, vai ao ar pelo canal americano SyFi e sua terceira temporada está programada para março de 2018.

Compartilhe nas redes sociais:
Eduardo Cardoso

Professor, Colecionador e leitor de quadrinhos, apaixonado por literatura e Nerd por maioria de votos. Prefere a DC Comics, tem um gosto musical que não faz sentido, assim como sua escolha de herói favorito. Apesar de sua paixão por filmes de terror Trash/Gore ou com criaturas gigantes, seu filme preferido é O Rei Leão.

Leia Também

Resenha | Duna – Frank Herbert

Resenha | Duna – Frank Herbert

Especial | Tudo o que você precisa saber sobre a franquia ‘Alien’

Especial | Tudo o que você precisa saber sobre a franquia ‘Alien’

Resenha | Time Riders, de Alex Scarrow

Resenha | Time Riders, de Alex Scarrow

Valerian e a Cidade dos Mil Planetas | Ficção de Luc Besson é um espetáculo colorido

Valerian e a Cidade dos Mil Planetas | Ficção de Luc Besson é um espetáculo colorido

Adicione Um Comentário.