Sete Motivos para maratonar ‘Brooklyn Nine-Nine’ o quanto antes

Sete Motivos para maratonar ‘Brooklyn Nine-Nine’ o quanto antes

Autor: 138

Há dezenas, se não centenas, de programas de comédia no ar atualmente, muitos têm a sorte de cair nas graças do público e se tornarem verdadeiros sucessos, outros caem no limbo das séries de apenas uma temporada, isso quando conseguem uma temporada completa. ‘Brooklyn Nine-Nine‘ é uma série de comédia policial da Fox, atualmente indo para sua quinta temporada, que construiu uma base de fãs leais, mas que, apesar de ser premiada e reconhecida por sua qualidade e talentoso time de atores e atrizes, ainda não atingiu a popularidade de gigantes como ‘The Big Bang Theory’, ‘Two and a Half Men’ ou ‘How I Met Your Mother’. Pensando nisso, o Uber7 separou uma listinha marota com Sete Motivos para você adicionar ‘Nine-Nine’ à sua watchlist o quanto antes e, assim, dar à série o destaque que ela merece.

Criadores de respeito

brookly nine-nine 4

Os criadores e produtores executivos de ‘Brookylyn Nine-Nine’, Dan Goor e Michael Schur, têm um impressionante currículo compartilhado. Schur co-criou a adorada, e aposentada, sitcom ‘Parks & Recreation’, que Goor também ajudou a escrever. Os dois já trabalharam em séries como ‘Saturday Night Live’, ‘Curb Your Enthusiasm’ e ‘The Office’, além de muitas, muitas outras comédias de sucesso. Eles aprimoraram suas habilidades até tal ponto que o ‘Brooklyn Nine-Nine’ já começou bem desde o primeiro episódio – diferente de outras séries que acabam mudando muita coisa ao longo dos primeiros episódios – e foi apenas melhorando. Eles também trouxeram algumas das pessoas brilhantes com quem eles trabalharam em outros programas, como o Chelsea Peretti, que era escritora de ‘Parks’.

Jogo de câmera e download

netflix nine-nine

A série faz muito o uso de câmera única, variando de personagem para personagem conforme as coisas vão acontecendo, principalmente na primeira temporada, o que faz parecer que o espectador está inserido dentro da cena, acompanhando tudo que está rolando ao lado dos personagens, quase como se o público estivesse assistindo um documentário. Tudo isso, somado ao fato de não haver risadas enlatadas, deixa a série mais próxima da realidade.

Por se tratar de uma sitcom, os episódios de ‘Nine-Nine’ tem apenas 20 e poucos minutos de duração, o que permite que você assista tudo bem rapidinho em um final de semana, por exemplo. Quer mais facilidade que isso? Então toma: as três primeiras temporadas estão disponíveis na Netflix, e o melhor, com opção de download para smartphones e tablets, o que facilita ainda mais sua vida, podendo assistir à série em uma viagem curta de ônibus ou até durante o almoço, sem nem se preocupar com conexão de Wi-Fi ou gasto dos preciosos pacotes de dados.

Flashbacks

Brooklyn-Nine-Nine holt

Os flashbacks são bem executados e ajudam no desenvolvimento de caráter revelador. Cortes para os passados dos personagens em ‘Nine-Nine’ são bobos como em ‘Scrubs’ e ‘How I Met Your Mother’, mas também fornecem profundidade como em ’30 Rock’. Vários casos, por exemplo, acontecem quando os personagens estão descrevendo uma cena do passado, e entra o flashback para mostrar quão ridículo foi a situação ou como ela foi completamente diferente do descrito.

Diversidade

brookly nine-nine 2

É de se pensar que séries estabelecidas em Nova York, uma das cidades mais multiculturais dos Estados Unidos e do mundo, apresentariam elencos razoavelmente diversificados. No entanto, na televisão o que geralmente permanece é o domínio de um mesmo gênero e raça. Mulheres, negros e personagens homossexuais são geralmente estereotipados em séries de comédia. ‘Brooklyn Nine-Nine’ subverte casualmente essa tendência desatualizada, lançando negros, latinos e mulheres em múltiplos papéis principais.

Capitão Holt, por exemplo, interpretado brilhantemente por Andre Braugher, é o chefe do 99° departamento de policia de New York e ascendeu ao cargo com muito trabalho duro e dedicação, apesar de enfrentar a discriminação devido a ele ser afro-americano e abertamente gay. O programa lida com o personagem de Holt, e questões de raça e sexualidade de maneira geral, com um toque leve, nunca se afastando da realidade da situação, ao mesmo tempo em que não os faz o único foco desses personagens.

Terry Crews

Terry

Terry Crews está lá e ele faz o que Terry Crews faz de melhor: interpreta um personagem grande, forte e líder natural, mas que embaixo dos músculos esconde um cara sensível e calmo. Bem como ele é na vida real também. O personagem de Crews poderia ter sido facilmente colocado naquele papel do “policial negro irritado” que tantos outros programas usam, mas, felizmente, não foi o caso. Terry Jeffords, nome do seu personagem na série, é o segundo no comando – depois de Holt – e entre salvar a pele de seus amigos aqui e ali e manter o time em ordem, ele ainda encontra tempo de ir ao mercado, brincar com suas filhas gêmeas e tomar iogurte. “Terry ama seu iogurte”, como ele mesmo diria na terceira pessoa.

Só o nome dele já deveria ser o suficiente para convencer qualquer pessoa a assistir ‘Brooklyn Nine-Nine’, afinal de contas o cara deve ser um dos atores mais carismáticos do mercado. Mesmo. Quem aí não gosta do Julius de ‘Everybody Hates Chris’ ou do Latrell de ‘As Branquelas’?

Andy Samberg

jake peralta

Antes de embarcar em ‘Brooklyn Nine-Nine’, Andy Samberg tinha um catálogo bem misturado. Ele era mais famoso por seu trabalho com o grupo de comédia The Lonely Island, além do programa SNL, mas não chegou ao estrelato como um artista solo. Como o detetive Jake Peralta, Samberg finalmente mostrou que não apenas sabe atuar, como atingiu um doce equilíbrio entre um bobalhão e um policial genuinamente cativante. Ele é infantil e bagunceiro, mas, no final do dia, muito bom no que faz e apaixonado por seu trabalho. Tal é a qualidade do desempenho que ele já ganhou um Globo de Ouro na categoria de Melhor Ator em Série de Comédia pelo papel, que lhe rendeu também a vaga de host do Emmy de 2015.

O personagem principal da série é um de seus pontos mais altos. Jake Peralta é o detetive não convencional que inventa codinomes para ele mesmo e sua equipe durante as operações, faz referências aos filmes ‘Duro de Matar’ e sempre tem uma piada na ponta da língua. Extremamente competitivo, ele se destaca dos companheiros ao resolver o maior numero de casos, mas, diferente do esperado, por diversas ele se dá muito mal: perde apostas e se mete nas maiores confusões. Apesar de tudo, ele é muito respeitado e admirado por todos do departamento.

É engraçado pra caramba

Nenhuma dessas boas qualidades importaria se a série não fosse divertida. Felizmente, ela é, e muito. Embora muito do humor venha dos próprios personagens, os escritores e atores também não têm medo de misturar as coisas com jogos de palavras incrivelmente estúpidos ou o bom e velho tapa na cara clássico. É um show que é hilário sem nunca recorrer à maldade ou humor negro. Cada personagem da série é unicamente dotado de tempo cômico, um cuidado que os escritores tiveram para destacar cada um deles em momentos diferentes.

‘Brooklyn Nine-Nine’ tem uma habilidade para contar histórias genuinamente divertidas. Não há nenhuma claque de risada ao fundo para lhe dizer o que é supostamente engraçado ou quando rir, as piadas são reais e realmente te fazem dar boas risadas. A melhor parte do estilo de comédia é que ele não se apoia em estereótipos para ser engraçado. Com um elenco diversificado seria fácil para os escritores caírem na armadilha de escrever coisas racistas, sexistas e homofóbicas por uma risada barata. Nenhuma piada gay jamais foi feita sobre o Capitão Holt, por exemplo, de fato, no episódio “Old School”, Jake Peralta conhece um herói da infância que faz comentários sobre a sexualidade de Holt e, sem pensar duas vezes, lhe dá um belo soco na cara.

Com a quinta temporada chegando, dia 26 de setembro, este é o momento ideal para sentar no sofá com aquele balde bem grande de pipoca e aproveitar tudo que a série tem a oferecer. Tá esperando o que?

Compartilhe nas redes sociais:
Everson Araujo

Jornalista, aspirante a escritor, professor de inglês, executivo e grisalho. Geek de nascença, é viciado nas melhores séries de TV, quadrinhos e animes, tanto da atualidade quanto os clássicos. Amante de cinema e crítico, Everson vê no universo dos livros a incrível sensação de escape do mundo real.

Leia Também

Sete motivos para continuar assistindo ‘The Flash’

Sete motivos para continuar assistindo ‘The Flash’

Sete Motivos para assistir ‘Rick and Morty’

Sete Motivos para assistir ‘Rick and Morty’

Sete motivos para adicionar ‘Gravity Falls’ na watchlist do Netflix

Sete motivos para adicionar ‘Gravity Falls’ na watchlist do Netflix

Sete Motivos para adicionar a série ‘Mr. Robot’ à sua watchlist

Sete Motivos para adicionar a série ‘Mr. Robot’ à sua watchlist

Adicione Um Comentário.