Por que tantos personagens bebem leite no cinema?

Por que tantos personagens bebem leite no cinema?

Autor: 418

Certamente você nunca se perguntou isso, mas mesmo assim a gente levanta a questão: por que tantos personagens bebem leite em seus filmes? A resposta é muito mais interessante do que aparenta, acredite.

Como concluiu o canal gringo Now You See It, beber leite pode ser interpretado de duas formas: uma demonstração de inocência mesmo em contextos que aparentemente os personagens são dominantes; ou uma demonstração de poder bizarra a partir do controle de qualquer traço de ingenuidade que possa transparecer nos outros.

Então sim, de fato, beber leite é algo relevante para a narrativa cinematográfica. Em ‘Laranja Mecânica’, a gangue de Alex (Malcolm McDowell) aparece em um take aparentemente intimidador, mas o leite funciona como um lembrete de que aquela arruaça é causada, no fundo, por jovens. 

Em ‘O Profissional’, quando Leon (Jean Reno) aparece bebendo leite, esse elemento funciona quase como um alívio cômico, pois como poderia um assassino de aluguel, frio e calculista, beber leite como um ritual diário? Como esperado, com o passar da história, percebemos que ele não é tão durão quanto parece.

O mesmo acontece com Max (Tom Hardy), em ‘Mad Max: A Estrada da Fúria’, quando o herói turrão e inexpressivo passa por uma transformação durante a fuga com Furiosa, que o deixa mais sensível e dá a ele mais empatia. Pouca gente percebeu, mas o símbolo dessa mudança foi quando o personagem lavou o rosto com o leite materno existente no caminhão – um dos tesouros daquele universo pós-apocalíptico (não que o leite tivesse poderes mágicos de amolecer corações de pedra, mas ele funciona como um elemento da narrativa que marca essa transição).

onde os fracos nao tem vez

O lado esquisito de um adulto beber leite, no entanto, já é percebido em produções como ‘Onde os Fracos Não Têm Vez’ e ‘Bastardos Inglórios’. No segundo, o militar Hans Landa (Christoph Waltz) bebe um copo de leite da família Dreyfus. A alusão à fragilidade existe, mas não à dele e, sim, à dos demais, denotando uma sobreposição de forças que coloca o personagem de Waltz em claro privilégio.

Já em ‘Corra!’, Rose come cereal com leite enquanto escolhia uma vítima, mas com a bebida separada. O simbolismo do racismo está presente em todo o filme, mas esta cena talvez seja a mais bem trabalhada. Pense bem: quem diabos come Fruit Loops separado do leite? Trata-se de uma metáfora, claro. Ela separa o branco (leite) dos “de cor” (cereal), colocando-se em uma posição superior na qual ela usa sua inocência [bang!] para atrair novas vítimas.

O consumo consciente do símbolo da inocência transforma aquelas figuras em seres assustadores. Voltando para ‘Laranja Mecânica’, a expressão de Alex chega a aterrorizar os próprios colegas e tudo se reflete nas campanhas sádicas que ele participa e, acima de tudo, que ele lidera.

Em ‘Westworld’, um dos autômatos que está ligado a uma narrativa brutal e violenta aparece sempre bebendo uma garrafa de leite. Quando seu colega o trai, ele toma não apenas seu lugar como homem dominante daquela história, mas também seu hábito.

No próprio ‘Mad Max: A Estrada da Fúria’, o leite materno dá mais vigor físico aos filhos de Immortan Joe, que têm acesso aos seus nutrientes desde crianças – outro exemplo de que a bebida é um sinal de poder.

laranja mecanica leite

Tais característica são tão frequentes que até mesmo o cinema trash já deu suas contribuições. Em o ‘Biscoito Assassino’, quando o vilão finalmente derrota o psicopata farináceo, solta a previsível mas sensacional frase: “Tem leite?

+Leia também: Filmes tão ruins que merecem ser assistidos

Essa é a beleza da sétima arte: dar significado a um ato tão cotidiano pode parecer simples, mas a é sutileza que dá a graça.

Agora corre na cozinha e vai tomar um copo de leite – mas apenas por tomar, e não para mostrar como você é inocente ou para abusar da ingenuidade de alguém.

Compartilhe nas redes sociais:
Filipe Rodrigues

Jornalista, apaixonado por futebol, nerd e leonino. Apesar de acompanhar tudo o que acontece no mundo dos esportes, escolheu o universo das nerdices pra dedicar seu tempo produtivo e criativo. Gosta muito de Superman; entre Vingadores e X-Men fica com os mutantes; adora coisas nostálgicas como Digimon, Power Rangers e Dragon Ball; e seu filme favorito agora é Mad Max: Estrada da Fúria!

SAIBA MAIS SOBRE

Leia Também

Especial | Filmes tão ruins que merecem ser assistidos

Especial | Filmes tão ruins que merecem ser assistidos

‘Corra!’ e o ótimo retrato do liberalismo racista

‘Corra!’ e o ótimo retrato do liberalismo racista

Adicione Um Comentário.