‘Em Ritmo de Fuga’ e as melhores cenas de perseguição do cinema

‘Em Ritmo de Fuga’ e as melhores cenas de perseguição do cinema

Autor: 366

Em Ritmo de Fuga‘ é o mais recente trabalho do diretor e roteirista Edgar Wright, responsável por conhecidos longas nerds como ‘Todo Mundo Quase Morto’, ‘Scott Pilgrim Contra o Mundo’ e boa parte do roteiro de ‘Homem-Formiga’. Já nos poucos minutos de cada trailer de ‘Baby Driver’, nome original do filme, é possível compreender porque ele é a nova menina dos olhos de Wright. O diretor já deixa claro a que veio nos vídeos, bastam apenas algumas cenas de diálogos sagazes, ação desenfreada e, é claro, muita, muita corrida de carro, que o público fica no mínimo curioso. Tudo embalado por uma fina seleção de musicas – que vão desde clássicos como Barry White e Golden Earring, a bandas como Queen e The Champs – e estilizados com uma colorida fotografia.

O diretor teve a ideia original para o filme em meados de 1994, porém, só em 2003, que ele pode adaptar o conceito para o clipe da musica “Blue Song”, de Mint Royale, estrelado por Noel Fielding, sobre um motorista de fuga que ouve musica enquanto espera os bandidos roubarem um banco.

‘Baby Driver’ é estrelado por Ansel Elgort, Kevin Spacey, Lily James, Jon Bernthal, Eiza González, Jon Hamm e Jamie Foxx, e tem data de estreia definida para 27 de julho no Brasil.

Na trama, um jovem e talentoso motorista de fuga chamado Baby confia na batida pessoal de sua trilha sonora preferida para ser o melhor no mundo do crime, já que a música eleva seus reflexos e concentração a níveis extremos. Quando conhece a garota de seus sonhos, Baby vê uma chance de abandonar sua vida criminosa e fazer uma saída limpa do meio. Mas, depois de ser coagido a trabalhar para um bandido misterioso, ele deve enfrentar a batida de um assalto mal-intencionado que ameaça sua vida, amor e chance de liberdade.

Confira o trailer legendado logo abaixo:

Após uma saída conturbada da direção de ‘Homem-Formiga’, em 2014, Wright anunciou planos para finalmente fazer ‘Baby Driver’, com a produção de Tim Bevan, Eric Fellner e Nira Park e distribuição da TriStar Pictures, uma subsidiária da Sony Pictures.

Perseguições no cinema

Quem não gosta de uma boa cena de carro? Pois bem, não é de hoje que o veículo de quatro rodas número um do mundo tem destaque nos filmes de ação. ‘Velozes e Furiosos’ à parte, confira abaixo algumas das melhores cenas de fugas em automóveis do cinema de todos os tempos.

DRIVE

Por se tratar de uma filme cujo personagem principal é um habilidoso piloto de fuga estilo caladão, ‘Drive‘ é, possivelmente, um dos maiores influenciadores por trás de ‘Em Ritmo de Fuga’. O longa é estrelado por Ryan Gosling no papel de Motorista, isso mesmo, o nome real do personagem nunca é mencionado na história. Lançado em 2011, o filme neo-noir acompanha um metódico motorista que, de dia, trabalha como mecânico e dublês de filmes e, a noite, como piloto de fuga de chefes da máfia e bandidos. Com direção de Nicolas Winding Refn, o filme adapta o romance de mesmo nome de James Sallis, de 2005.

UMA SAÍDA DE MESTRE

Impossível falar de fugas e não citar ‘Uma Saída de Mestre‘, de 2003, estrelado por Mark Wahlberg, Charlize Theron, Jason Statham e Edward Norton. Trata-se do remake de um longa britânico homônimo de 1969. Na trama, Wahlberg interpreta Charlie Croker, um gênio do crime determinado a recuperar uma fortuna em ouro roubada dele por um ex-parceiro. Dentre várias cenas divertidas no longa, a mais marcante talvez seja a da corrida de Mini Coopers pelas ruas e túneis subterrâneos de Los Angeles.

60 SEGUNDOS

Esqueça o remake de 2000 com Nicolas Cage e Angelina Jolie, a versão original de 1974 – estrelada, dirigida, roteirizada e produzida por H. B. Halicki – tem uma autenticidade que o sucessor e inúmeros outros longas tentaram copiar sem sucesso. Na trama, Maindrian Pace lidera uma gangue de ladrões de carros que, após ser procurado por um chefão do tráfico de drogas, recebe a missão de roubar 48 automóveis em apenas três dias, incluindo um modelo Ford Mustang 1973, apelidado de Eleanor. Um dos grandes destaques é a cena de perseguição de 40 minutos do filme, QUARENTA, em que 93 carros são destruídos no processo. Confira logo abaixo:

BULLITT

Bullitt‘ é possivelmente um dos filmes mais marcantes da carreira do astro dos anos 60 e 70, Steve McQueen. O ator, que era conhecido por gostar de carros rápidos, dá vida a um policial de San Francisco que está constantemente atrás dos chefões do submundo, sempre ao volante do seu Ford Mustang GT 1968. Um dos grandes destaques da trama é exatamente uma cena de perseguição entre Bullitt e um assassino em um Dodge Charger que dura aproximadamente dez minutos. O longa foi o primeiro a colocar o público dentro do carro através de uma câmera que simula a visão do motorista e, apesar de criticada a principio – por causar náuseas em algumas pessoas que não estavam acostumadsa àquele tipo de movimentação – revolucionou a forma como as perseguições de carro seriam feitas a partir de então.

SUPREMACIA BOURNE

Em ‘Identidade Bourne’ acontece uma linda sequência de fuga em Paris, na qual o personagem de Matt Damon dirige um Mini Cooper como se fosse um carro esportivo. Já a perseguição de ‘Supremacia Bourne‘ se sobressai por ser mais intensa e pesada. O que começa com Bourne derramando vodca em uma ferida ao dirigir um táxi roubado se torna uma fuga alucinada bem no meio das ruas de Moscou, onde ninguém está a salvo, nem os civis. O desmemoriado Jason usa tudo a seu redor a seu favor, de carros passando a obstáculos presentes na própria cidade. Cada impacto sentido por ele parece reverberar em tela junto com o espectador.

MAD MAX: ESTRADA DA FÚRIA

O grande retorno do diretor George Miller à série que o colocou no mapa há 35 anos poderia ter sido um desastre, como tantos outros revivals por aí. Poderia. Entretanto Miller conseguiu entregar um dos melhores filmes da década até o momento, cheio de poeira, sangue e gasolina queimada. Claro que a ação e as perseguições de carros são componentes chave de qualquer filme da franquia ‘Mad Max’, mas ‘Estrada da Fúria‘ supera seus predecessores por se tratar de, essencialmente, uma grande cena de perseguição ao longo do deserto. E dentre tantos elementos icônicos presentes no longa – como a incrível Furiosa, personagem da sempre linda Charlize Theron; Nux, de Nicholas Holt; e o próprio Max, vivido então por Tom Hardy – um dos que mais de sobressai é exatamente o uso de efeitos práticos em tela, o que torna a experiência da perseguição muito mais emocionante e crível que o CGI que tomou conta de Hollywood.

Compartilhe nas redes sociais:
Everson Araujo

Jornalista, aspirante a escritor, professor de inglês, executivo e grisalho. Geek de nascença, é viciado nas melhores séries de TV, quadrinhos e animes, tanto da atualidade quanto os clássicos. Amante de cinema e crítico, Everson vê no universo dos livros a incrível sensação de escape do mundo real.

Leia Também

Crítica | Mad Max: Estrada da Fúria

Crítica | Mad Max: Estrada da Fúria

Quinze trailers que são melhores que os filmes inteiros

Quinze trailers que são melhores que os filmes inteiros

American Assassin | Dylan O’brien tem sangue nos olhos em longa de ação

American Assassin | Dylan O’brien tem sangue nos olhos em longa de ação

Top 7 | Atrizes que amamos e seus papéis mais incríveis

Top 7 | Atrizes que amamos e seus papéis mais incríveis

Adicione Um Comentário.