Crítica | Corra!

Crítica | Corra!

Autor: 291

Ficha técnica

Crítica | Corra!

Título original: Get Out
Lançamento: 18 de maio de 2017
País: Estados Unidos
Direção: Jordan Peele
Gênero: Terror / Mistério
Duração: 1h44min
Produção: Blumhouse e Monkeypaw Productions
Roteiro: Jordan Peele
Elenco: Daniel Kaluuya, Allison Williams, Catherine Keener, Bradley Whitford, Caleb Landry Jones

Avaliação Uber7

Já faz algum tempo que as produções de terror deixaram de agradar o público que simpatiza com o gênero. As técnicas já se tornaram clichês e, por ser um gênero passível de produção com baixo orçamento, filmes ruins com nomes “clickbait” surgem a todo momento. Nesse cenário improdutivo, fomos apresentados a um novo jeito de fazer filme de horror: poucos personagens, sem a habitual enrolação para resolver a trama e, desta vez, o personagem principal faria exatamente o mesmo que você para escapar da morte. ‘Corra!’, do estreante Jordan Peele e estrelado por Daniel Kaluuya, se encaixa perfeitamente nesse estilo e, acredite, funciona de forma surpreendente.

O filme vai além do que um simples longa assusador, podendo ser considerado um importante filme sobre racismo. Na trama, Chris (Daniel Kaluuya) e a namorada Rose (Allison Willians) vão passar um final de semana na casa dos pais da moça. O objetivo da visita é fazer com que Chris conheça os sogros e o cunhado, o que logo desperta a preocupação do rapaz: será que um negro será bem aceito na família? Rose não acha que informar os parentes sobre a cor do namorado seja algo relevante – e a surpresa torna o evento ainda mais estranho para o convidado, que se depara com dois funcionários negros aparentemente domesticados. No segundo dia na mansão dos Armitage tudo parece ficar ainda mais estranho… E é a partir daí a trama começa a dar início a tensão.

 

O diretor usa bem o primeiro ato do filme para mostrar o quão desconfortável é ser negro e estar rodeado por brancos que tratam a pele diferente como algo incomum. O objetivo do diretor, aqui, ficou claro: mesclar o preconceito racial à trama de terror proposta, alinhando o roteiro para que nada que viesse à acontecer parecesse solto ou fora de lugar. Há uma divulgação exagerada por parte da mídia sobre o nível de medo que o longa provoca, mas fica a dica: depois de assistir, percebemos que, na verdade, trata-se muito mais de um thriller diferente, um pouco alternativo, do que um filme aterrorizante em si. O longa tem lá o seu pacote de sustos, mas segue, na maior parte do tempo, a linha “terror psicológico”, que surge quando o comportamento excessivamente amoroso dos pais de Rose começa a se transformar em algo mais perturbador.

 

Daniel e Allison são o destaque do filme quando o assunto é atuação, A mudança de personalidade que a personagem de Rose vive é muito bacana. Em geral não temos muitos personagens importantes na produção, de maneira que o casal e o amigo de Chris, Rod (LilRel Howery), ficam com a responsabilidade de prender a nossa atenção. O clima do filme começa ameno e demora a engatar: porquê da história só dá as caras no início do terceiro ato – o que não é ruim. Nenhum problema impossível é inventado para que o personagem principal não consiga cumprir com seu objetivo, mas ao rolar dos créditos, a sensação de: “não tem mais nada?”. O diretor pecou em arrastar a história até dar início ao problema e encerrar o filme logo em seguida.

‘Corra!‘ é realmente um filme diferente dos quais estamos acostumados a assistir, sendo uma excelente pedida para os amantes do gênero. Sabe aqueles filmes que chegam perto de atingir o 10/10? Este talvez possa ser considerado um deles.

Compartilhe nas redes sociais:
Kaigue Moura

Kaigue (e não Kaique) é um publicitário que devora filmes e gosta de se manter bem informado. Quer vê-lo feliz, leve-o ao cinema, quer vê-lo triste, proíba-o de comer besteira. Muito observador, e reservado também, gosta do frio, ama Brasília e, além de ser viciado em refrigerante, sonha em ser rico um dia.

Leia Também

Crítica | Rei Arthur: A Lenda da Espada

Crítica | Rei Arthur: A Lenda da Espada

Casey Affleck e a aprovação hollywoodiana do machismo

Casey Affleck e a aprovação hollywoodiana do machismo

Adicione Um Comentário.